Trabalhadores terminam greve depois de três dias de paralisação

Depois de três dias parados, terminou hoje a greve dos trabalhadores da construção civil. Em reunião no Sintracon-SP (Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Civil de São Paulo), foi feito um acordo com o Sinduscon-SP (Sindicatos das Indústrias da Construção de São Paulo).
“O acordo não foi o que nós queríamos, mas, diante da situação econômica do País, ele acabou sendo satisfatório”, disse o presidente do Sitracon-SP, Ramalho da Construção.
O representante do Sinduscon-SP, Haruo Ishikawa, reconheceu as reivindicações salariais dos trabalhadores como justas. “A greve é um direito democrático”, disse.
No acordo firmado, os empresários aceitaram reajustar os salários pelo índice do INPC, no valor de 9,83%, para os trabalhadores que recebem o piso salarial.
Para aqueles com salários até R$ 7 mil, o reajuste negociado foi o pagamento do mesmo índice de 9,83, mas em duas vezes. A primeira, de 65%, neste mês, e os 35% restantes em setembro.
Para aqueles com salários superiores a R$ 7 mil, o reajuste será de R$ 688, sendo R$ 447,10 agora, em maio, e R$240,84 em setembro. O vale refeição subiu de R$ 240 para R$ 265, e o tíquete restaurante de R$ 19 para R$ 20.
Foram mantidas ainda as cláusulas sociais, como o fornecimento do café da manhã, com dois pães com queijo, um pingado e uma fruta da época.

<