Quem com ferro fere, com ferro será ferido!

22-05-2017 - Deputado Ramalho da Construção
 
O presidente Michel Temer, desde que assumiu o governo, só fez, ao lado de sua equipe de burocratas, trabalhando para tirar direitos dos trabalhadores.
 
Primeiro para uma terceirização, que acolheu uma vontade de empresários e como elites em claro detrimento de quem efetivamente ergue como mangas e constrói o País.
 
Em seguida, demonstrando conduta neoliberal, de capitalismo selvagem, conseguiu passar na Câmara Federal a Reforma Trabalhista, o seu teor, a ser analisado ainda pelo Senado, enfraquece sindicatos e precariza como relações entre capital e trabalho.
 
O próximo passo é uma reforma da previdência. E digo seria porque Temer, despreparado que é, caiu nas malhas da corrupção, ricamente tecidas pelo empresário Joesley Batista, dono da Friboi, com oito indiciamentos na Justiça e um dos maiores devedores da Previdência (cerca de R $ 2 bilhões).
 
Quem com ferro fere ... Pois é. Os principais atores da política formada pela faixa presidencial, os empresários, que visam apenas o lucro pelo povo brasileiro se perde nos labirintos do desemprego, traíram Temer, ferindo-o de morte.
 
Enquanto ele tenta subir por um pau de sebo, escorregando cada vez com mais vigor, seus delatores são fora do País, gozando de liberdade e usufruindo do dinheiro conquistado, antes, antes da doação virum público, compraram US $ 1 bilhão De dólares). Quanto ganhamos em absurda transação?
 
Temer não quer muito do osso do poder. Tenta desqualificar a gravação da fita. Disse em entrevista à Folha de S. Paulo O que aconteceu com a morte de Friboy foi o motivo da operação Carne Fraca, deflagrada dez dias depois da reunião malfadada. E mais: chega ao cúmulo de afiar que não sou das pendências de Joesley Batista com um lei !!!
 
O principal mandatário desconhece fatos corriqueiros. Fatos que o mais humilde brasileiro sabe.
 
Ora. Sua avaliação não é o avisos de antecedentes do boi que adentrou o Jaburu? Eu mesmo respondo Não avisou porque o encontro, secreto, não foi agendado.
 
Com as reformas, o excelentíssimo senhor presidente quis tirar os direitos dos trabalhadores que sequer puderam opinar a respeito. Agora passamos pela mesma situação, com todos os holofotes da mídia mundial refletindo uma situação vergonhosa.
 
Uma voz do povo é uma voz de Deus. E do povo se cunhou o velho ditado: "Quem é ferro ferido, com ferro ser ferido".
 
O Brasil descobriu: uma palavra temer, em vez de sobrenome, é verbo ...
 

 

Ramalho da Construção é sindicalista e deputado estadual pelo PSDB-SP

<